Formações imaginárias: a imagem de si e do outro em torcidas organizadas em redes sociais na internet

Resumo

Neste artigo discute-se o conceito de formações imaginárias, introduzido por Pêcheux (AAD-69), com o objetivo de analisar a construção identitária de torcedores organizados. Usa-se o conceito de formações imaginárias por designar o lugar que A e B se atribuem cada um a si e ao outro, isto é, a imagem que eles fazem de seu próprio lugar e do lugar do outro, acrescido do conceito de identidade na perspectiva da AD francesa. Na metodologia, realiza-se  uma pesquisa exploratória de abordagem qualitativa a partir de sequências discursivas extraídas de sites de torcidas organizadas. Os resultados apontam para a heterogeneidade da identidade do torcedor organizado, uma vez que a identidade perpassa pelas representações que cada um tem de si e do outro, pelo discurso transverso e pelo deslocamento da posição-sujeito. Conclui-se que a construção da identidade vai além das representações imaginárias, devido à pertinência dos elementos constitutivos do processo discursivo.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Carlos Carvalho Castro, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
Graduado em Letras Português licenciatura com habilitação em Inglês pela FOFOP (1989), Especialista em Informática na Educação pelo MEC/PROINFO/UFPE, Especialista em Leitura, Compreensão e Produção Textual pela UFPE (2004) e Mestre em Linguística pela UFPB (2009). Atualmente é professor de Língua Portuguesa da Rede Estadual de Ensino do Estado de Pernambuco. Pesquisador do Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação (www.ufpe.br/nehte). Co-autor do livro Documentos Acadêmicos: um padrão de qualidade, publicado pela EDUFPE.
Publicado
2020-06-09
Como Citar
Castro, L. C. C. (2020). Formações imaginárias: a imagem de si e do outro em torcidas organizadas em redes sociais na internet. Ciência & Trópico, 44(1). https://doi.org/10.33148/cetropicov44n1(2020)art3
Seção
ARTIGOS