USO DE SENSORIAMENTO REMOTO PARA MAPEAMENTO DE ÁREAS SUSCEPTÍVEIS À DESERTIFICAÇÃO NA REGIÃO SEMIÁRIDA DO BRASIL

Eduardo Savio Passos Rodrigues Martins, Sônia Barreto Perdigão de Oliveira, Margareth Sílvia BENÍCIO DE SOUZA CARVALHO, Abdelfettah Sifedine, Betina Ferraz

Resumo


As terras secas, de acordo com a Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos de Seca – UNCCD, são aquelas submetidas à influência de climas áridos, semiáridos e subúmidos secos. São regiões com alta vulnerabilidade ambiental, onde, em geral, concentram os maiores índices de pobreza, e que são afetadas pelos mais variados vetores de pressão sobre os seus recursos naturais, especialmente, a água, o solo e a biodiversidade. A intensa exploração antrópica, sem considerar as potencialidades, limitações e capacidade de suporte, está conduzindo à degradação das terras secas no Brasil, na região chamada de Área Suscetível à Desertificação - ASD. Para o conhecimento do estado da arte da desertificação na referida área, foi realizado um mapeamento, com o uso de sensoriamento remoto para identificar as áreas fortemente degradadas sob o ponto de vista físico. O mapeamento foi realizado nos 11 estados inseridos na ASD, totalizando 70.279,46 Km² de áreas fortemente degradadas em processo de desertificação. Embora seja evidente que a exploração agrícola, têm contribuído para produzir impactos ambientais capazes de desencadear processos de desertificação, no mapeamento, essas áreas foram consideradas produtivas, com baixo nível de degradação. Os resultados indicaram a eficiência das imagens do satélite Landsat, e o potencial da técnica de sensoriamento remoto no mapeamento do referido tema, mostrando um elevado grau de confiabilidade na delimitação de áreas afetadas. A partir desse trabalho fica possível a atualização sistemática deste mapeamento, visando um plano de monitoramento da degradação das terras secas no semiárido brasileiro, tema estratégico para o desenvolvimento sustentável do País.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários
 |  Incluir comentário

Direitos autorais 2017 Fundação Joaquim Nabuco



Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia